INFORME-SE

Blog de três estudantes de jornalismo. Tem o intuito de informar e causar reflexão por parte do leitor.

segunda-feira, novembro 29, 2004

Transgênicos não prejudicam ambiente?


Cientistas do projeto Bright (sigla em inglês para Implicações Rotativas e Botânicas da Tolerância a Herbicidas Geneticamente Modificados) concluíram que não há indícios de que a plantação de transgênicos prejudique o meio ambiente.

Iniciado em 1999, este foi um dos maiores estudos já realizados na Grã-Bretanha que tinha como objetivo simular a atividade agrícola e avaliar como as sementes transgênicas agem quando plantadas num sistema de rotação de cultura.

Os cientistas examinaram variedades de beterraba e de canola que haviam sido manipuladas para suportarem o uso de determinados herbicidas.

"Parece haver algumas vantagens de administração, com a flexibilidade do uso de herbicidas; poderia haver vantagens de custo, dependendo do preço dos herbicidas e das sementes", afirmou o coordenador do estudo Jeremy Sweet.

Sweet também concluiu que depois deste estudo deve ajudar companhias de biotecnologia e defensores dos transgênicos no seu argumento contra o banimento desses produtos no mercado.

O governo britânico qualificou o estudo do Bright de pesquisa valiosa e disse que vai pedir ao painel consultor do governo para transgênicos avaliar os resultados.

Contra esse estudo está a opinião pública na Grã-Bretanha que não é favorável à introdução dos transgênicos no país sob circunstância alguma, segundo uma pesquisa realizada no ano passado.

Fonte: Folha Online

Mais de 100 baleias e golfinhos morrem encalhados na Austrália



Divulgação/ Universo Online

Nesta segunda-feira, equipes de resgate trabalhavam para tentar salvar os sobreviventes e prevenir que outros animais fiquem encalhados.

Segundo autoridades australianas, aproximadamente 80 golfinhos e baleias morreram em praias da ilha King e 53 baleias ficaram encalhadas na ilha Maria. Os motivos que causaram esta catástrofe ecológica ainda é desconhecido.

Há cerca de um ano, animais morreram de maneira semelhante em ilhas da Tasmânia.

Enquanto voluntários tentavam levar os animais sobrevivente de volta para águas mais profundas, pelo menos metade das baleias morreu nesta segunda-feira.

Policiais e equipes ambientais continuam trabalhando para manter os golfinhos e baleias longe das duas ilhas para prevenir novas mortes.

Fonte: Universo Online

sexta-feira, novembro 26, 2004

Banco de árvores preservará espécies nativas



Divulgação/Unesp de Ilha Solteira

Pesquisadores da Unesp de Ilha Solteira montaram um banco genético de árvores ameaçadas de extinção nas florestas e cerrados brasileiros.

O banco fica na fazenda de pesquisa e extensão do campus da universidade, e começou a ser criado há 20 anos. Além de contribuir na preservação florestal e no reflorestamento, ele produzirá conhecimento das espécies para os setores da farmacologia, química e física.

As pesquisas vão evitar a extinção da aroeira, espécie encontrada desde o Nordeste brasileiro até o norte da Argentina que tem longa durabilidade e alto valor comercial.

Após a coleta de sementes experiências com seu DNA, hoje, existem novas aroeiras prontas para os projetos de reflorestamento podem ser encontradas nos viveiros de Ilha Solteira.

Fonte: Estadão Online

"Trash kills?"


Em nome da vaidade humana, muitos animais são mortos com direito a tortura antes da execução. São envenenados, eletrocutados, tirados do seu habitat e presos. Para cada casaquinho que a modelo Gisele Bundchen ou mesmo outras tantas mulheres ricas usam custou a vida de dezenas de animais.

Essa matança é chamada pelos peleiros como "trash kills" - matança de lixo. Se você, por um acaso, concorda com eles, tem ou que ter um casaco de pele, certamente irá mudar de idéia ao ver esta sequência de flashs.
Clique aqui

Importância Química da Amazônia


Há sempre uma tendência de se falar da importância da Amazônia por causa da grande diversidade de animais e vegetais que nelas habitam. Entretanto, a variedade de compostos químicos presentes na Amazônia deve ser também considerada.

Ervas já eram utilizadas quando os portugueses aportaram no Brasil, e ainda são usadas hoje, só que na maioria das vezes, por laboratórios estrangeiros que depois revendem o produto para cá, mais caro, é claro.

O tesouro químico amazônico engloba substâncias com propriedades repelentes, antitumorais e antimaláricas, entre outras. Da floresta, já foram extraídos compostos como a quinina (principal remédio de combate à malária), a estricnina (raticida) e a genipina (usada para a tintura de pele e cabelos). Venenos diversos, também, foram retirados de animais; óleos essenciais extraídos de plantas da região são hoje muito usados na perfumaria.

No entanto, segundo o químico Otto Gottlieb, ainda se conhece menos que 1% de todo esse tesouro. As plantas da Floresta Amazônica podem possuir substâncias capazes de curar doenças ainda incuráveis, como câncer e Aids. Se o ritmo de devastação da floresta continuar como está, a cura dessas doenças será jogada fora.

Fonte: Ciência Hoje

quinta-feira, novembro 25, 2004

Novo método para diferenciar sementes transgênicas


soja
Divulgação/Agroconnection.com

Os pesquisadores do Instituto de Química da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) desenvolveram método para diferenciar sementes naturais, trangênicas, orgânicas ou nativas com maior rapidez e confiabilidade.

O trabalho foi desenvolvido por Rodrigo Ramos Catharino, Marcos Nogueira Eberlin e Leonardo Silva Santos. E não foi patenteado devido a sua simplicidade, mas o grupo já solicitou credenciamento junto aos Ministérios da Agricultura e da Saúde para proceder as análises e implantar o sistema em laboratórios.

O processo usa apenas uma ou duas sementes e demora menos de dois minutos. A rapidez do método despertou interesses. Segundo Catharino, as pesquisas já foram estendidas ao algodão e milho. Ele defende que o método dará maiores garantias a consumidores e agricultores sobre o produto que estão adquirindo.

Para fazer o teste, a amostra é triturada, misturada a água e álcool. A mistura vai para uma centrífuga simples por um minuto. O material não decantado é injetado em um espectrômetro de massas, que identifica a estrutura molecular da amostra.

Como os quatro diferentes tipos de sementes têm estruturas moleculares distintas, o resultado gráfico das amostras pode ser observado e indetificado por qualquer leigo.

Fonte: Estadão Online

quarta-feira, novembro 24, 2004

Amazônia ameaçada


Metade da Amazônia, o que corresponde a 1,93 milhões de quilômetros quadrados sofre efeitos da ação do homem como desmatamento, estradas ilegais para a extração de madeira e queimadas.

O levantamento foi divulgado ontem pela organização não-governamental Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon). Segundo a Ong, mais de 70% dos focos de incêndio estão ligados a estradas ilegais, estradas oficiais e também nas margens dos rios por onde a madeira é retirada.

É importante que haja investimentos em fiscalização para que não surjam mais estradas ilegais, nem sejam derrubadas árvores sem o devido controle. As áreas já afetadas também merecem atenção por meio de programas de reflorestamento e de formação de corredores ecológicos para interligarem uma área de floresta à outra, para que as espécies possam se locomover.

Mais informações: Estadão

terça-feira, novembro 23, 2004

Animais heróis





Quantas vezes você já ouviu falar em animais que salvaram pessoas de inúmeras situações de perigo?

Como a história da vira-lata Catita que salvou seus donos, duas crianças, do ataque de um feroz pitbull no Rio de Janeiro, em fevereiro de 1999. Ela deixou os filhotes e correu para acudir os meninos. Acabou perdendo um pedaço da orelha, mas conseguiu afastar o outro cachorro.

Os heróis da vez são os golfinhos da costa da Nova Zelândia, que salvaram um grupo de nadadores d e um tubarão branco que rondava aquela área.

Alguns salva-vidas estavam treinando em uma praia perto de Whangarei, no norte do país, quando eles viram um tubarão de três metros. Neste momento, cerca de seis golfinhos apareceram e começaram a perseguir o tubarão.

Os golfinhos permaneceram em volta dos nadadores por cerca de 40 minutos, fazendo com que os nadadores ficassem juntos, até que conseguissem voltar à praia.

De acordo com os salva-vidas, os golfinhos estavam agitados e batiam repetidamente a cauda na água, provavelmente para tentar impedir que o tubarão se aproximasse ainda mais.

Biólogos marinhos dizem que comportamentos desse tipo não são raros em golfinhos. Segundo especialistas, os golfinhos são considerados os mamíferos mais inteligentes e que gostam de ajudar aqueles que precisam.


Fonte: BBC Brasil

Censo nos oceanos descobre novas espécies


Cientistas de mais de 70 países ,que participaram do projeto para estudo dos animais oceânicos conhecido por Censo da Vida Marinha , revelaram a descoberta de 13 mil novas espécies de organismos marinhos em 2004.

Além disso, apontaram também rotas até agora desconhecidas de migração de alguns animais, como o atum e o tubarão.Mas ainda há muito a descobrir.Segundo o cientista-chefe do censo,Ron O'Dor ,tudo o que foi descoberto até agora é apenas um começo.

O projeto iniciado no ano 2000, com custo de US$ 1 bilhão, tem como objetivo criar um grande banco de dados sobre as espécies para, assim, facilitar a criação de políticas de conservação e para o setor pesqueiro.

Com as novas espécies encontradas nos últimos 12 meses, o banco de dados tem agora mais de 5,2 bilhões de registros de localização, data e profundidade sobre as espécies encontradas.Todas essas informações permitiram ao censo construir um mapa completo com a distribuição geográfica de 38 mil espécies, de espécies de plâncton a baleias.

Dados de várias regiões oceânicas ainda não foram compilados. Mas informações vindas só de uma delas, a do Atlântico Central, indicaram a existência de 80 mil espécies.O total de espécies de peixes marinhos encontradas até agora é de 15.482.

Estudiosos acreditam que, até que o censo seja completado, em 2010, esse total chegue a cerca de 20 mil.Mas a quantidade de peixes não se compara à de organismos microscópicos., que já conta com mais de 6,8 mil espécies de zooplâncton.

Interessado no assunto? Visite a galeria de fotos da BBC e conheça algumas dessas novas espécies.

Fonte : Folha Online

segunda-feira, novembro 22, 2004

Coleta Seletiva : benefícios à sociedade e ao meio ambiente



Se todo lixo produzido no Brasil fosse colocado de uma só vez em caminhões, haveria uma fila de 16.400 deles ocupando 150 quilômetros de estrada. Em apenas três dias, essa fila ultrapassaria a distância entre São Paulo e Rio de Janeiro, tudo isso devido a quantidade de lixo produzida pelo nosso país ser de 115 toneladas por dia .

Cerca de 30% de todo esse lixo é composto de materiais recicláveis como papel, vidro, plástico e latas. E tirar esses materiais do lixo traz uma série de vantagens. Uma delas é recursos naturais e de energia que se faz com a reciclagem. Por exemplo, cada lata de alumínio reciclada economiza energia elétrica suficiente para manter uma lâmpada de 60 watts acesa por quatro horas. E a reciclagem de 100 toneladas de plástico evita o uso de 1 tonelada de petróleo.

A coleta seletiva também diminui o volume de lixo que vai para os aterros sanitários, aumentando sua vida útil e evitando que as prefeituras tenham de gastar dinheiro com a construção de novos aterros.

Outro ganho para a sociedade acontece quando esses materiais recicláveis são encaminhados para centrais de triagem mantidas por cooperativas de catadores, que têm ali um trabalho mais digno do que vasculhar recicláveis pelas ruas ou em lixões.



Divulgação/Eco Pop

Fonte : Akatu

Curiosidades ...


* Um jarro de vidro reciclado economiza energia suficiente para assistir a TV durante três horas.

* Uma gota de óleo torna 25 litros de água imprópria para o consumo.

* As sequóias, árvores típicas das florestas da América do Norte, vivem até 600 anos.

* Os brasileiros consomem 20 bilhões de dólares em petróleo e seus derivados por ano. É o 12º maior consumidor mundial, ao lado da Índia.

* A Bacia de Campos (RJ) produz 530 mil barris por dia, 68% da produção nacional de petróleo.

* Existem 500 espécies de plantas carnívoras no mundo. No Brasil há 80 delas.

Fonte :Guia do Curiosos

domingo, novembro 21, 2004

Pela camada de ozônio


A XVI reunião dos países que fazem parte do Protocolo de Montreal, que visa proteger a camada de ozônio, começa em Praga, segunda-feira (22). Participam representantes de quase todos os países do mundo.

O encontro terminará na quinta-feira (25) e espera-se que alguma providência concreta seja tomada para que a meta do Protocolo seja atingida, que é de recuperar a camada de ozônio voltar a ser como originalmente.

Os 3 Rs


O problema do lixo é um problema extremamente sério. Cada paulistano produz por dia uma média de 1 kg de lixo. Os números do lixo são ainda maiores em países onde o consumo é maior. Um nova-iorquino, por exemplo produz em média 1,77 kg por dia (40 toneladas até o fim da sua vida).

Onde colocar todo esse lixo? A resposta é: Não existe onde. Dentro de poucos anos, se for mantida a produção atual de lixo, não haverá mais local onde colocar tanto lixo!

A solução então é simples: reciclar! Mas só isso não acaba com o problema. O lixo deve sim ser reciclado, mas antes de reciclar devemos tentar diminuir ao máximo a quantidade de lixo produzido, reutilizar tudo o que pudermos e só então reciclar. A forma mais eficiente para resolver o problema da grande quantidade de lixo produzido se resume em três "Rs" : reduzir, reutilizar e reciclar.